terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Capacidades, vulnerabilidades e cuidados em saúde na velhice – edição de dezembro de 2015 da revista Ciência & Saúde Coletiva

                    foto: Abrasco

Um olhar aprofundado sobre os significados contemporâneos do envelhecimento é o tema da edição volume 20, número12 da revista Ciência & Saúde Coletiva. A complexidade desse processo biológico e social no Brasil e no mundo é mostrado logo no editorial, escrito pelo importante pesquisador canadense Dr. Réjean Hébert, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Montreal, no qual aborda as consequências indescritíveis desse fenômeno para a demografia dos países e, em particular, para seus sistemas de saúde e previdência. O número contém uma variedade de temas sobre a visão da sociedade sobre o envelhecimento, incapacidades funcionais, doenças crônicas, mentais, osteomusculares e orais e diversas iniciativas para o envelhecimento ativo. A edição é organizada por Josélia Oliveira Araújo Firmo, pesquisadora do Centro de Pesquisa René Rachou (CPqRR/Fiocruz) e integrante do grupo de pesquisa “Projeto Bambuí”, com larga experiência em estudos que vão desde as questões genéticas, estudos empíricos até políticas sobre o tema.

O cerne da discussão é que o sistema de saúde, centrado em hospitais e criado para lidar com as doenças agudas e infecciosas, tornou-se inadequado para dar resposta às necessidades de tratamento continuado e por prazo extenso, particularmente, no caso dos idosos. De um lado, tendo em vista que a maioria das doenças crônicas é evitável, a promoção da saúde e a prevenção das doenças devem merecer uma atenção prioritária. De outro, é fundamental ter estrutura, meios e pessoas formadas para o atendimento básico e garantir um adequado seguimento dos pacientes portadores de doenças crônicas, evitando-se a utilização indevida e a deterioração das salas de emergência e hospitais.

Ponto fundamental, os médicos e outros profissionais de saúde precisam ser apoiados por equipes geriátricas, visando a prover um atendimento especializado para os idosos que sofrem declínio funcional e deterioração aguda. Os serviços geriátricos devem estar disponíveis não apenas em instituições como unidades de avaliação geriátrica, mas para acesso das comunidades em hospitais-dia, em centros de convivência, no atendimento domiciliar e nas clínicas de reabilitação.

Este e outros artigos da revista Ciência & Saúde Coletiva estão disponíveis na base de periódicos Scielo. Números anteriores também podem ser acessados online.

Editada pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva/Abrasco, a Revista Ciência & Saúde Coletiva – criada ao final de 1996 – é um espaço científico para discussões, debates, apresentação de pesquisas, exposição de novas ideias e de controvérsias sobre a área.


Fonte: Abrasco

Nenhum comentário:

Postar um comentário